Algo que ao longo dos últimos tempos ganhou uma popularidade incrível e fez, inclusive, várias manchetes de jornais e revistas cotados foi a moeda virtual bitcoin, já sendo até vista como o sistema de transação financeira desta década. Mas o que é, afinal, esta moeda?

Criada no ano de 2008, é vista no mercado como um novo sistema financeiro envolto em vários componentes que funcionam através de uma rede de partilha de consumidor para consumidor. Tal como acontece com moedas como o Euro ou o Dólar, um utilizador pode fazer uso dela para, entre outras coisas, efetuar compras online.

Funcionando num ambiente virtual, mas não menos real por isso, a sua proveniência é impossível de definir e não é detida por alguém ou alguma empresa, embora qualquer um possa ter livre acesso a ela através da internet. Na prática está a fazer com o sistema financeiro o que a internet fez com o sistema informativo mundial há uns anos: Acesso livre para qualquer um.

Este sistema é regido por um protocolo com o mesmo nome, Bitcoin – apenas difere da moeda em nomenclatura através da maiúscula na primeira letra. Este protocolo, entre outras coisas, define quantas moedas deste tipo podem haver e como estas são criadas e transferidas entre os seus utilizadores.

 

Mineiros virtuais

O valor desta moeda advém, em parte, da sua ainda insuficiência. Pode ser obtida online, através de trocas criptográficas mas a forma mais comum de a obter é através de um processo chamado mining.

Fazer mining significa que o utilizador, com a ajuda de determinados hardwares e softwares, dá autorização para que o seu computador seja utilizado pelo sistema mundial de Bitcoin como um meio de suporte para efetuar cálculos e transações desta moeda ao redor do mundo. Basicamente o computador do utilizador serve como servidor secundário de todo o sistema de Bitcoin. Como recompensa pelo serviço prestado, o utilizador é pago com bitcoins.

Este processo obviamente favorece aqueles que têm os melhores computadores pois a velocidade de processamento das tarefas pedidas pela Bitcoin torna-se maior. Quanto mais o sistema cresce, também menos os ‘mineiros’ vão receber uma vez que há mais utilizadores para dividir as moedas.

 

Moeda de valor incerto

Inicialmente pensado como o sistema ideal para pagamentos de compras de baixo valor, a ideia foi rapidamente colocada de lado. Pelo menos para já. Isto porque as taxas que têm de ser pagas por cada transação ainda são demasiado altas.

Ao mesmo tempo, o valor real desta moeda ainda continua muito instável, valendo tanto 10 dólares como rapidamente pode passar a valer 1000. Este valor é definido pela quantidade de moedas bitcoin que estão a ser precisas naquele momento em relação às que estão a ser produzidas. Desta forma, não tem ainda a estabilidade necessária para ser útil à maioria dos negócios uma vez que a maioria das companhia teme perder grandes quantidades de dinheiro em caso de uma súbita desvalorização.

 

Mas como tudo isto começou?

Apesar de já existir há alguns anos, a bitcoin só se tornou realmente relevante num panorama mundial em 2013, a partir do momento que a crise económica no Chipre se deu. Isto porque esta cripto-moeda forneceu aos habitantes daquele país uma forma mais fácil de guardar o dinheiro bem como uma facilidade de acesso muito maior.

Ainda assim, o maior culpado de toda esta popularidade são, como sempre, os meios de comunicação porque são eles que realmente deram a conhecer ao mundo a importância e as vantagens desta moeda.

 

O destino da bitcoin

Como não existe a necessidade do utilizador deter uma conta bancária para possuir bitcoins e, consequentemente, existir qualquer registo das transações efetuadas, torna-se fácil o uso desta moeda para compras ilegais na internet e lavagem de dinheiro.

Vista por muitos como a moeda do futuro, a verdade é que a bitcoin ainda tem um imenso caminho a percorrer, mesmo que já tenha percorrido uma longa jornada. De altos e baixos.

Para os especialistas, a maior dúvida quanto ao futuro desta cripto-moeda é se está a ser adquirida porque os consumidores realmente querem comprar coisas com ela ou porque acham que o seu valor irá continuar a aumentar. Esta valorização, ainda assim, pode ter os dias contados pois cada vez mais pessoas estão a tentar lucrar com este método.

Perante a falta de controlo que existe, os governos já estão a trabalhar em formas de regularização desta cripto-moeda. Caso isso aconteça, é provável que ela desvalorize por passar a estar na jurisdição do estado e, consequentemente, algumas das suas vantagens desaparecerem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here